TRAÇAS

As traças de roupas são pequenas mariposas pertencentes à família Tineidae (Ordem Lepidoptera) muito comuns em áreas urbanas.

image003Biologia

Diferentemente das traças de livros, as traças de roupas apresentam desenvolvimento biológico chamado metamorfose completa, ou seja, dos ovos nascem as lagartas (fase jovem) completamente distintas da fase adulta (mariposa). Em algumas espécies as lagartas tecem um pequeno estojo achatado e em forma de losango para sua proteção, e apresentam o corpo esbranquiçado com a cabeça escurecida. Dentro deste invólucro protetor a lagarta se desenvolve, alimentando-se avidamente de uma infinidade de materiais como tapetes, roupas de lã, tecidos, estofamentos, entre muitos outros. Roupas usadas, sujas de bebidas, alimentos, suor ou urina, além daquelas guardadas por muito tempo, são as mais atacadas. São facilmente identificáveis ao serem vistas deslocando-se pelas paredes ou armários residenciais, e abrigam-se em guarda-roupas, cômodas, carpetes e tapetes. A lagarta, após algum tempo, transforma-se em pupa e logo depois em mariposa, fase adulta alada e com capacidade reprodutiva. Os adultos apresentam asas estreitas e acuminadas, voam pouco e não são atraídos pela luz, como a maioria das mariposas. Sua coloração é clara, medindo aproximadamente 1,5 cm e apresentam tufos de pelos de coloração avermelhada na cabeça e antenas mais escuras do que o restante do corpo. A reprodução é sexuada e as fêmeas depositam entre 40 e 50 ovos, num período de até 3 semanas, morrendo logo após a postura. Os ovos possuem uma secreção adesiva e aderem-se às fibras dos tecidos das roupas, eclodindo entre 4 e 10 dias, conforme a espécie. As lagartas sofrem de 5 a 45 mudas, conforme a temperatura ambiente e o tipo de alimento disponível, e esse estágio pode durar de 35 a 87 dias. O período de pupa dura de 8 a 40 dias, e a fase adulta dura de 4 a 30 dias.

Danos causados

São consideradas importantes pragas em áreas urbanas, infestando roupas, tapeçarias, estofados, entre outros. Em tecelagens e locais onde há tecidos armazenados deve-se realizar um controle periódico.

Bibliografia

 http://www.biologico.sp.gov.br/artigos_ok.php?id_artigo=68